A ganância

Reflexões de dom Amilton Manoel da Silva, CP, para o 18º domingo do tempo comum.


Todos nós desejamos segurança, felicidade... Mas onde a podemos encontrar? As Leituras bíblicas nos dão a resposta:

A 1ª leitura (Ecl 1,2; 2,21-23) lembra a situação insuportável do povo de Deus pela ganância dos poderosos de então. Isso levou o autor sagrado a afirmar: “Vaidade das vaidades, tudo é vaidade”. Essa afirmação é atribuída a Salomão que, apesar de ser um rei sumamente sábio, rico e poderoso, lembrava que as coisas terrenas são passageiras e convidava ao desapego delas.

Na 2ª leitura (Cl 3, 1-5.9-11), São Paulo nos exorta a mesma coisa: “Se ressuscitastes com Cristo, procurai as coisas do alto e não as da terra”.

No Evangelho (Lc 12,13-21), um desconhecido pede a Jesus para resolver um problema de herança. Jesus se recusa, porque é difícil fazer justiça quando existe cobiça. E adverte: “Tomai cuidado contra todo tipo de ganância a vida de um homem não consiste na abundância de bens...” Para ilustrar essa verdade, conta a parábola do rico insensato, que construiu grandes celeiros para armazenar a colheita, pensando assim ter segurança para viver tranquilamente. Pura ilusão: Naquela mesma noite veio a morrer e ele se apresentou de mãos vazias diante de Deus. E Jesus conclui: “Assim acontece com quem guarda tesouros para si e não é rico diante de Deus”. O pecado foi acumular apenas para si; não agradeceu a Deus, nem partilhou com os irmãos.

A ganância pelos bens terrenos é a causa de muitos males. Onde estamos depositando a nossa segurança e construindo a nossa felicidade?

Bom domingo.
Deus te abençoe.