Corpus Christi 2022: comunidades unidas para celebrar o Sacramento da Eucaristia

Em Guarapuava, a procissão do dia 16 de junho seguirá por um caminho diferente dos anos anteriores.

13/06/2022 10H20

Desde o início de 2020, quando a pandemia da COVID-19 se tornou uma triste realidade em nossas igrejas, diversas atividades precisaram ser adaptadas para que não houvesse aglomerações e consequente propagação do vírus. Uma das solenidades mais impactadas foi o Corpus Christi, quando tradicionalmente são realizadas procissões com os fiéis pelas ruas das cidades, encontros com os amigos, confecção dos tapetes e, é claro, a celebração do sacramento da Eucaristia, tema central da festividade.

Em diversas cidades que compõe a diocese de Guarapuava, a procissão foi substituída pelas Missas nas paróquias, transmitidas pela internet, ou por carreatas com o Santíssimo conduzidas pelos padres nas ruas, levando o Senhor até as portas das casas, hospitais e postos de saúde. A participação dos fiéis nas igrejas foi reduzida, mas a audiência nas transmissões pelas redes sociais mostrou o quanto a fé e a vontade de “estar juntos” nunca esmoreceu.

Em 2022, está grande a expectativa pelo retorno das procissões. A queda considerável dos casos da doença e a flexibilização das normas de prevenção permitem sua realização, mas, apesar de não ser obrigatório, é sempre recomendável utilizar máscara e higienizar as mãos com álcool em gel. 

Em Guarapuava, o Corpus Christi será diferente dos anos anteriores. A Santa Missa, no dia 16 de junho, será no estacionamento do Parque de Exposições Lacerda Werneck, às 15h, seguida da procissão até o Santuário Diocesano Nossa Senhora de Belém, a antiga catedral. Os tapetes enfeitarão os dois locais. Dom Amilton Manoel da Silva, CP, presidirá a celebração, que deve contar com participantes das 13 paróquias guarapuavanas.

Em Pitanga, também haverá apenas uma celebração para as duas paróquias da cidade. Será na Casa de Formação Cristã São José Freinademetz, a partir das 15h. Após a Missa, a procissão seguirá até a matriz da paróquia Sant’Ana, pela avenida Presidente Getúlio Vargas. Se chover, as celebrações serão realizadas nas paróquias Sant’Ana e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no mesmo horário.

Nas demais cidades, as procissões devem seguir de forma parecida com o que era feito antes da pandemia. Informações podem ser obtidas através das redes sociais das paróquias, atualizadas pelos agentes da Pastoral da Comunicação, e nas secretarias.
Participe!
 

Veja Mais