Diocese de Guarapuava realizou a primeira reunião em preparação para o Sínodo dos Bispos de 2023

A escuta da comunidade local é a primeira etapa no caminho para a XVI Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, em outubro de 2023.

13/10/2021 09H14

Na noite de 5 de outubro de 2021, as principais lideranças de pastorais, padres, leigos e representantes de congregações religiosas da diocese de Guarapuava, participaram de uma reunião on-line para iniciar os trabalhos locais em preparação para a XVI Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, em Roma. Por iniciativa do Papa Francisco, está sendo realizado em todo o mundo um processo de escuta do Povo de Deus, primeiramente nas igrejas locais, posteriormente nas conferências episcopais nacionais e por fim nas continentais. Os documentos finais, com a síntese do que será apresentado por todos os povos, serão as referências para a Assembleia Geral de Roma, que concluirá os trabalhos em outubro de 2023.

No dia 14 de outubro de 2021, quinta-feira, será realizado pela CNBB, através da Comissão Nacional de Animação do Sínodo 2023, um encontro de formação visando o melhor entendimento do que é o Sínodo. Nesse encontro, a diocese de Guarapuava participará junto com a diocese de Palmas/Francisco Beltrão.  No dia 17, domingo, juntamente com todas as Igrejas Particulares do mundo, será realizada a cerimônia de Abertura do Sínodo. Em Guarapuava, será na Catedral Nossa Senhora de Belém a partir das 19h.

 

O que é Sínodo?

Sínodo, do grego, significa “caminhar juntos”. É uma assembleia convocada por um superior, neste caso o Papa Francisco, para tratar de assuntos referentes à Igreja. “O tema da sinodalidade não é o capítulo de um tratado de eclesiologia, muito menos uma moda, um slogan ou o novo termo a ser usado ou explorado em nossas reuniões. Não! A sinodalidade expressa a natureza da Igreja, sua forma, seu estilo, sua missão”, explicou o Papa Francisco em um evento da Diocese de Roma, em setembro de 2021.

 

A jornada

Pela proposta do Santo Padre, cada Igreja Local deve escolher um representante. Na diocese de Guarapuava o bispo diocesano, Dom Amilton Manoel da Silva, CP, conferiu a missão ao padre Valdecir Badzinski, que pertence ao clero local mas que exerce a função de secretário executivo no Regional Sul 2 da CNBB (Paraná). Após a abertura diocesana, no dia 17 de outubro, cada paróquia deve realizar a escuta de representantes de movimentos da juventude, leigos, coordenadores de pastorais e pelo menos um representante da política local. Seminaristas e congregações religiosas também realizarão assembleias.

O Papa não quer fazer uma reunião em que apenas bispos, teólogos e especialistas tenham voz. Ele quer que cada Igreja particular dê a sua contribuição. Para isso, haverá uma fase de consulta ao Povo de Deus nas dioceses do mundo inteiro. Sendo assim, a diocese de Guarapuava também fará este processo de escuta ao Povo de Deus”, comentou padre Valdecir.

Após finalizados os trabalhos dos grupos, a coordenação diocesana, com os textos em mãos, redigirá um documento que deve ser encaminhado para a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) até março de 2022. Cabe à CNBB a tarefa de criar um documento com a síntese de todas as dioceses, arquidioceses e prelazias do país até março de 2023, quando serão realizadas as assembleias continentais. Dessas assembleias, devem ser produzidos sete documentos finais, um para cada continente, que serão as referências para a Assembleia Geral, em Roma.

Com todas essas etapas, será possível garantir a participação dos batizados do mundo inteiro e apresentar um documento que faça a diferença para a nossa Igreja. A diocese de Guarapuava não pode ficar fora deste momento eclesial significativo e relevante. Cada um estará à escuta dos outros e todos, à escuta do Espírito Santo. Participe!”, concluiu o padre Valdecir.

Veja Mais