Começaram os trabalhos diocesanos para o Sínodo dos Bispos

Por uma Igreja Sinodal: participação, comunhão e missão.

18/10/2021 10H20

Com informações do Vatican News e CNBB / Foto: Samira Juliana Machado - PASCOM

Na tarde de ontem, 17 de outubro de 2021, a Catedral Nossa Senhora de Belém sediou a abertura dos trabalhos diocesanos para o Sínodo dos Bispos. Em outubro de 2023, todos os bispos do mundo estão convidados para a Assembleia Geral, com o Papa Francisco, em Roma.

Em sua décima sexta edição, a Assembleia surgiu a partir de um desejo dos padres que participaram do Concíclio Vaticano II, de 1962 a 1965, e tem como função manter vivo o espírito de colegialidade nascido naquela experiência conciliar. Entretanto, o próximo Sínodo, convocado pelo Papa Francisco, não será igual aos anteriores. Dessa vez não serão escutados apenas os padres, bispos, teólogos e estudiosos, mas sim todo o povo de Deus. A proposta é que os trabalhos iniciem, ainda em 2021, nas Igrejas Particulares, como nas paróquias e comunidades, e se estenda para as dioceses, conferências nacionais e continentais. No fim, devem ser produzidos sete documentos, um para cada continente, que pautarão a Assembleia de Roma.

A partir da abertura na diocese, as paróquias agora devem iniciar o processo de escuta. Foi formada uma equipe diocesana, coordenada pelo Padre Valdecir Badzinski, para auxiliar os trabalhos, mas a proposta é que cada padre realize uma reunião presencial com lideranças, membros de pastorais, jovens, leigos e pelo menos um representante da política local. Para auxiliar o diálogo, está sendo produzido um folder que deve ser distribuído para toda a diocese, contendo as propostas de reflexões contidas no Documento Preparatório do Sínodo, disponibilizado pelo Vaticano.

Em sua homilia na Missa de abertura, o bispo da diocese de Guarapuava, Dom Amilton Manoel da Silva, disse que “é um privilégio viver de uma forma tão aberta, num processo de escuta, como pediu o Concílio Vaticano II. Sínodo significa ‘Caminhar juntos’. Parece fácil, mas não é. Não é muito fácil quando se trata de acolher ideias diferentes. Sobretudo nesse momento de Igreja e de sociedade, onde vemos muitas polarizações, falta de educação, baixaria, agressão, ódio... é um momento bastante delicado. Esse Sínodo convocado pelo Papa Francisco chega numa hora exata. É aqui que vem a certeza que de fato o Espírito de Deus conduz a Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

Dom Amilton continua: “tenho certeza de que estes dois anos de processo sinodal vão causar não só um bem enorme à Igreja, mas também à sociedade. Nós vamos mostrar uns aos outros, enquanto pessoas, cidadãos, que vivem em uma sociedade, que se relacionam em casa, na igreja, no trabalho, na rua, que ninguém está vivendo sozinho. Necessitamos uns dos outros, esbarramos uns nos outros e precisamos uns dos outros naquilo que se tem de humano e de dons que Deus concedeu para que sejam multiplicados”.

Em breve, será divulgado pelos meios de comunicação oficiais o cronograma das atividades para a diocese de Guarapuava.

Veja Mais