A diocese de Guarapuava

A Diocese de Guarapuava foi criada em 16 de dezembro de 1965 pela Bula “CHRISTI Vices”, do Papa Paulo VI, desmembrada das dioceses de Ponta Grossa, Campo Mourão e Toledo, e foi instalada em 26 de junho de 1966. O primeiro Bispo Diocesano foi dom Frederico Helmel, SVD (1966 a 1986). O Segundo dom Albano Bortoletto Cavallin (1986 a 1992). No período de 1992 a 1995, Pe. Cassiano Waldner assumiu a Diocese como administrador diocesano. O Bispo diocesano que tomou posse em 1995 foi dom Giovanni Zerbini, SDB. No ano 2000 assumiu como Bispo coadjutor Dom Antônio Wagner da Silva, SCJ. Em conformidade com o Código de Direito Canônico, Dom Giovanni Zerbini apresentou a sua renúncia em dezembro de 2002 e, em 02 de julho de 2003, assumiu o governo pastoral da Diocese, dom Antônio Wagner da Silva, SCJ. Após aceitar o pedido de renúncia de Dom Antônio Wagner da Silva, por causa da idade (75 anos completados em 2019), o Papa Francisco nomeou dom Amilton Manoel da Silva, CP, até então bispo auxiliar da arquidiocese de Curitiba, para assumir suas funções à frente da Diocese de Guarapuava. Sua posse se deu no dia 18 de julho de 2020.

A Diocese de Guarapuava está localizada na região centro-sul do Estado do Paraná. Com uma superfície de 27.360,2 Km² e com uma população estimada em 553.627 mil habitantes (Censo 2010), a diocese limita-se com as dioceses de Palmas-Francisco Beltrão, União da Vitória, Ponta Grossa, Apucarana, Campo Mourão e com a arquidiocese de Cascavel, contendo hoje 31 municípios.
A Diocese de Guarapuava é composta de 47 paróquias. No total, são 1.021 comunidades, distribuídas em quatro decanatos: Centro, Pinhão, Laranjeiras e Pitanga. A Diocese conta hoje com 106 sacerdotes, 1 diácono permanente, 5 irmãos consagrados e 54 religiosos(as).